Aos 87 anos uma viúva foi pedida em casamento por homem que sempre a amou. Poucas são as pessoas que ainda acreditam no amor verdadeiro, mas a verdade é que este existe e a prova disso é o casal Inês e Vicente, que com 88 e 84 anos, respectivamente, vão casar, vivendo assim finalmente um amor já muito antigo, pelo menos por parte de Vicente, que ao fim de tantos anos sem casar, confessou que sempre amou Inês, uma mulher que durante mais de 40 anos, cuidou dos seus 12 filhos e do ex-marido, Dorlindo, que ficou acamado após sofrer um atropelamento.

Originários de Lamim, no interior de Minas Gerais, Inês e Dorlindo conheceram-se ainda jovens, acabando por se apaixonar e casar. Sendo um sonho de ambos terem uma família grande, sempre trabalharam para que tal fosse possível, por isso mudaram-se para Belo Horizonte, onde Dorlindo trabalhava na prefeitura e ao mesmo tempo fazia ‘bicos’ de pedreiro e vendia colchões e almofadas, que ele mesmo produzia, para conseguir sustentar a sua família. Com a sua experiência como pedreiro construiu a casa da família e um imóvel onde Inês montou o seu Armarinho.

Contudo, um acontecimento trágico acabou por lhes provocar uma reviravolta na vida – após o nascimento o filho mais novo, Dorlindo sofreu um atropelamento, tendo ficado em estado muito grave devido a um traumatismo e a um aneurisma. O homem ainda chegou a ser internado num hospital psiquiátrico, mas voltou para casa para ser cuidado por Inês.

“Alguns tios mais novos e os netos não se lembram dele são. É muito triste, mas todos nós acompanhamos de perto o amor dos dois! Meu avô sempre foi um doce com todos nós e a minha avó cuidou dele com todo o amor e dedicação do mundo. Até o último dia de vida dele”, disse a neta de Inês, Júlia Neves, ao Razões para Acreditar.

Ainda assim, Dorlindo viveu uma vida bastante longa, tendo falecido apenas aos 92 anos.

Foi então que Vicente reapareceu na vida de Inês, tendo-se declarado a esta apenas após três anos depois do falecimento de Dorlindo.

De acordo com a neta, a avó não aceitou o pedido logo no início, talvez receando a reacção da família. Contudo, estes fizeram questão de lhe demonstrar que a única coisa que eles queriam era que ela fosse feliz.

viuva-pedida-em-casamento

“Todos foram conversar com ela, demonstrando que ficamos felizes e que abençoamos a união!” disse Júlia.

Com a benção da família, o casal começou então a namorar pouco antes do Natal e neste momento aguardam apenas o regresso do padre das suas férias para marcarem o seu casamento, à espera que seja o mais breve possível.

“Eles são muito simples, discretos, mas é lindo vê-los juntos! É visível que um futuro muito feliz os espera e todos nós estamos radiantes e emocionados com esta virada na vida da minha avó! Nunca é tarde para ser feliz!”, disse Júlia. “Afinal, foram anos de uma vida sofrida para minha avó e de solidão para o Seu Vicente, que nunca se casou e agora ganha de brinde uma família gigante!”.