A vacina da Covid-19 poderá estar fora do plano de vacinação e os utentes poderão ter de pagar, avançou Marta Temido referindo que Portugal tem estado em conversações, através do Infarmed, para obter a vacina e que esta não deverá figurar no Plano Nacional de Saúde numa primeira instância.

“É ainda precoce estar a avançar com o número de doses que poderemos vir a ter no nosso País, sobre eventuais preços, ou, mais importante, ainda sobre as datas para a sua disponibilização”, afirmou a ministra.

O Infarmed tem participado em várias reuniões semanais com a Comissão Europeia e com os outros Estados-Membros por forma a ter acesso às primeiras vacinas “em condições de segurança e qualidade”.

A ministra da saúde confirmou à TSF a discussão das vacinas no orçamento da Saúde para 2021 que poderá vir a ser “o mais difícil” de sempre, ainda que Portugal venha a beneficiar de verbas do programa europeu para a recuperação económica.