Usar vestuário sem ser passado é a nova aposta contra o aquecimento global. A proposta já do conhecimento mundial e cerca de 300 mil pessoas já aderiram à mesma através das redes sociais.

O objectivo desta campanha é que cada um de nós possa vestir com orgulhos as nossas roupas amarrotadas. A proposta tem sido tão popular que nas redes sociais não se tem falados em outra coisa.

Várias organizações ambientais que têm como objectivo cuidar e proteger o meio ambiente acreditam que é possível inverter as coisas com pequenas ações, como o simples facot de parar de usar o ferro de engomar.

Há que se manifeste a favor e contra nas redes sociais mas a verdade é que a iniciativa tem crescido nas redes sociais para evitar o uso do ferro.

Muitas pessoas acreditam que não se deve passar a ferro por “questões ambientais e porque realmente são estereótipos que as pessoas lidam com relação a como deves usar as tuas roupas”.

“Quando usas roupas amarrotadas ou melhor, que não foram passadas a ferro, entende-se que não se utilizou do instrumento que gastou energia desnecessariamente, portanto, é absolutamente justificável”.

Por outro lado, há quem não esteja de acordo com a campanha já que consideram que a maneira de se vestir “mostra cuidado, que há comprometimento contigo mesmo, auto-estima, que tens roupas limpas, em vez disso, uma pessoa com roupas amassadas mostra uma pessoa desajeitada”

Os desenvolvedores da campanha consideram que numa casa onde não se usa mais o ferro para passar roupas é o mesmo que plantar 7 árvores, ou como se o impacto dos gases produzidos por sete veículos se diminuíssem. Por consequência, isso produziria oxigénio para uma pessoa por 7 dias, originando menos energia e mais vida.

Créditos: La Voz Del Despertar