O Supremo Tribunal não divulgou escutas de António Costa com ministro do Ambiente que foi apanhado a falar da estratégia energética nacional, investigado no caso do hidrogénio verde.

A informação foi avançada pelo Correio da Manhã que revela que o Supremo anulou as duas escutas de Costa com Matos Fernandes.

As conversas entre os dois governantes ocorreram no final de 2020 e foram consideradas relevantes pelo procurador do DCIAP e apesar de uma fonte judicial, considerar que se tratava de uma conversa “normal entre dois governantes”, António Piçarra terá tido em conta que o tema discutido entre António Costa e Matos Fernandes – a estratégia energética nacional – estaria relacionado com o tema em investigação: uma candidatura nacional a financiamento europeu para a construção de um empreendimento de exploração de hidrogénio em Sines.

Verdade é que o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) não revela o conteúdo da decisão sobre as duas escutas telefónicas em que António Costa foi apanhado a falar com o ministro do Ambiente relativamente aos negócios do lítio e do hidrogénio.