Rodrigo Guedes de Carvalho faz bonita reflexão antes de encerrar o telejornal. A braçadeira ‘One Love’ tem gerado muita polémica, no Campeonato do Mundo de Futebol no Qatar. Naquele país a homos**** é proibida e considerada crime.

Assim sendo, as braçadeiras com uma mensagem de tolerância foram proibidas pela FIFA.

No entanto, a ministra alemã do Interior, Nanci Faeser marcou presença no estádio com a braçadeira da polémica, sendo fotografa ao lado do presidente da FIFA, Gianni Infantino. Já um jornalista dinamarquês foi obrigado pela polícia a retirar a braçadeira durante um direto televisivo.

José Rodrigues e Carvalho fechou o ‘Jornal da Noite’ com uma mensagem sobre este acontecimento: “O garrote chegou à liberdade de Imprensa. Pelo menos um jornalista, um dinamarquês, foi abordado pelas autoridades quando estava a efetuar um direto para o seu canal e foi forçado a retirar a braçadeira”.

O jornalista acrescentou: “Isto é significativo e é grave. Convém relembrar, de vez em quando, que o jornalismo que não pode, ou não deve, exibir preferências políticas, ideológicas, clubísticas, religiosas pode e deve ser feito com os valores da vigilância e da defesa do bem comum“.

Por isso, o jornalismo sério denuncia atrocidades, investiga corrupções, revela bastidores sórdidos que roubam, humilham e vitimam a população geral. O jornalismo tem, pois, uma causa: a da Humanidade. E, por isso, venho apenas lembrar que esta braçadeira não é uma bomba, um míssil que possa assustar regimes”.

O pivô da SIC concluiu afirmando: Trata-se de lembrar apenas que cada ser humano tem o direito de se apaixonar por quem quiser. Em relações adultas e consensuais tem o direito a relações s*** e emocionais com quem quiser. Cada ser humano tem o direito de amar quem quiser. Sem esta noção básica de tolerância, o caminho para outros perigos à liberdade ficam abertos. E a História já nos deu muitas lições, terminou. Vê aqui.