“Quando estás perto de partir queres ficar mais um pouquinho”, afirmou Roberto Leal numa entrevista a um canal brasileiro no início do mês de setembro.

Roberto Leal lutava contra um cancro há cerca de dois anos, acabando a doença por impedi-lo de andar e afetando a sua visão.

Numa entrevista concedida a Veruska Boechat no canal Band, o cantor abriu o coração e falou sobre a carreira, dos altos e baixos da vida e da luta contra o cancro, sem nunca ter perdido a esperança e o bom humor.

O luso-brasileiro mostrou os seus álbuns a Veruska e relacionou-os com diferentes fases da sua vida. «Aqui foi o momento mais terrível da minha vida», atira, com um disco de vinil da década de 70 na mão. «Eu achava que com o ouro era tudo dourado. Era o momento de ter tudo. O carro que sonhei, a casa que sonhei, podia comprar tudo aquilo que sonhei… e eu achei que podia comprar felicidade», disse. 

«O país que mais dificuldades me criou na minha vida foi Portugal. Eu levei 30 anos para conquistar Portugal. De repente eu estou num programa de televisão e aparece o presidente da República [Marcelo Rebelo de Sousa], a dizer as coisas que eu nunca pensei ouvir de um presidente.»

Ocantor também falou da sua doença: «O cancro atingiu as pernas, a coluna e os olhos de Roberto. Quando fiz a operação na coluna, a dor era tão grande, tão grande, que ela tomou conta do meu corpo e eu não tinha movimento nenhum. Dez ou 15 minutos antes de eu ir para o bloco operatório, eu perdi a consciência e naquele tempo eu fui procurar com toda a minha força para dizer: ‘Deus, a partir de agora entrego-me às tuas mãos, porque eu já não tenho mais forças. Agora é contigo», revela.

«Quando estás perto de partir… queres ficar mais um pouquinho. E queres ficar mais um pouquinho porquê? Para ver crescer as minhas netas. Para ver as vitórias dos meus filhos, deixar a minha companheira em paz, pedir perdão e desculpas, que muitas vezes eu não sabia, e agora eu sei. Agora eu sei o que faz doer», disse.