Uma professora defendeu o pai de Valentina que deixou a filha a agonizar durante 13 horas, facto este revelado pela autópsia.

Se o crime já tinha contornos macabros por a menina de 9 anos ter sido morta pelo próprio a criança acabou por morrer à frente dos irmãos e as agressões ocorreram logo pela manhã e a autópsia comprovou agressões muito violentas, resultando em lesões na cabeça. Ficaram também evidentes os indícios de asfixia.

Helena Marques foi professora do suspeito e partilhou um texto no facebook onde se mostra incrédula com a morte da criança.

“Ano letivo 2001/2002. Escola dos 1º,2. e 3º ciclos de Peniche. Era docente de Ciências Físico-Químicas (nome da altura); Diretora da Turma do 7ºA, turma de 19 alunos à qual lecionava também Estudo Acompanhado, Área de Projeto e Formação Cívica.

Hoje recordei todos os meus meninos e meninas da altura, não vou referir os nomes mas alguns eram muito “marotos”, outros muito sossegadinhos. Depois havia o nº 15, o Sandro Bernardo, aluno pelo qual sempre nutri uma simpatia muito grande por ser para mim tão educado e respeitador. Extremamente carente e talvez algo “frustrado” por ser o mais velho da turma, na altura já contava com algumas retenções.

Vítima de uma história como tantas outras e sem nada poder fazer contra uma sociedade que era já tão cruel para ele. Ofereci-lhe pelo Natal um livro que ele leu e que me disse ter gostado muito das tolices do Pai Natal nas suas férias no Hawai (temática abordada no livro). Representámos em Formação Cívica tantas vezes o “Teatrinho do 7ºA” com pequenas dramatizações de situações envolvendo agressividade e desentendimentos entre os alunos da turma. Projetámos e concretizámos maquetes de estádios de futebol para o Europeu de Futebol de 2004.

Que se passou com a tua vida Sandro Bernardo??? Tu não és um criminoso e disso eu tenho a certeza! Existe um coração sensível e carente aí dentro! Então porquê? Ninguém sabe, nem tu se calhar…”Não o devias ter feito”, sabes disso! Agora vais preso, és achincalhado por um país inteiro que não te conhece e te julga como se todos fossem imaculados e intocáveis. Hoje quando ouvi o teu nome nas notícias estremeci, duvidei e quando fui ao “baú das recordações” fiquei TÃO TRISTE, Sandro. Não consigo deixar de sentir que a culpa da tua filha estar morta neste momento também passa por mim!”.

Ano letivo 2001/2002. Escola dos 1º,2. e 3º ciclos de Peniche. Era docente de Ciências Físico-Químicas (nome da altura);…