A produção do Carocha chega ao fim 80 anos depois. A Volkswagen coloca, assim, um ponto final na produção do famoso Carocha.

Idealizado na Alemanha Nazi, o Carolcha tornou-se um símbolo no mundo automóvel, mas oito décadas depois de ter sido criado por Ferdinand Porsche, o Volkswagen Carocha não será mais produzido pela marca.

Nos dias de hoje, só a nova versão do Carocha, lançado em 1998, estava ainda a ser produzida na fábrica de Puebla, no México.

Relembre-se que o Carocha clássico já não é produzido desde 1978 nas fábricas alemãs e o Carocha “um milhão” saiu da linha de produção de Wolfsburgo em 1955.

A nova versão, desenhada sobre uma plataforma do Golf e com a direção do neto de Ferdinand Porsche, Ferdinand Piech, não teve o sucesso pretendido ficando muito aquém do seu antecessor no que respeita a vendas.

Produção do Carocha

A marca quer agora focar-se no fabrico de carros destinados a famílias maiores e de viaturas eléctricas.

“Ao contrário da Alemanha Ocidental, onde o seu baixo preço, qualidade e durabilidade representavam uma normalidade pós-guerra, nos Estados Unidos as características do Carocha emprestaram um ar não convencional a uma cultura automóvel dominada pelo tamanho e carisma”, escreveu Bernhard Rieger no seu livro “O Carro do Povo”, citado pela CBS.

“A perda do ‘Carocha’, depois de três gerações e mais de sete décadas, deverá provocar um conjunto de emoções aos muitos fãs devotos do ‘Carocha'”, disse Hinrich Woebcken, o presidente executivo da Volkswagen da América do Norte.

A última versão construída, com o desenho de 2012, dos 5.961 exemplares, vai ser exposta num museu mexicano, em Puebla, para marcar o fim da produção do famoso veículo.

A produção do carismático automóvel verá o seu fim definitivo a julho de 2019.

Créditos: Ekonomista