É preciso ser forte para perdoar. Perdoar é sinal de força. Se perdoar fosse fácil, provavelmente a Bíblia não nos aconselharia tantas vezes a praticar o perdão. É verdade, não é fácil, mas é essencial, se queremos ter uma vida espiritual e emocional saudável e que agrada a Deus.

O perdão cura as dores da alma, como nenhum remédio consegue fazer. Sabes aquele amigo teu que tanto confiavas e que traiu a sua confiança, sujando a tua reputação, e ainda hoje sofre as consequências?

Perdoa-o. É mais abençoado aquele que dá do que aquele que recebe. Doa o teu amor e perdão para quem te tiver magoado para te livrares de uma vez por todas dessa dor.

Liberta-te desse nó que tanto te prejudica, não fazendo caminhares. Livra-te dele, para que a outra pessoa também possa caminhar em paz. Afinal, quando não perdoas, o prisioneiro és tu.

Este mundo muitas vezes pensa e ensina exatamente o contrário: dizem que quem perdoa é tolo, que valente é aquele que não deixa passar nada e está sempre pronto a “dar o troco”. Mas Jesus ensinou a oferecer a outra face se alguém nos bater, e ter essa atitude requer uma força que tem que vir de Deus. Estêvão tinha essa força e as boas obras eram uma marca na sua vida, a própria Bíblia o descreve como “homem cheio da graça e do poder de Deus” que “realizava grandes maravilhas e sinais no meio do povo” (Atos 6:8).

Vemos também em Atos 6:10 que os acusadores de Estêvão não podiam resistir à sabedoria e ao Espírito com que ele falava. O que revela que além de ser forte, este servo de Deus falava com a sabedoria que era dada pelo Espírito de Deus.

Créditos: PAulo Monjardim