Pedro Passos Coelho abandonou tudo para se dedicar aos últimos meses da mulher. Os seus últimos cinco foram a outra contra um cancro (osteosarcoma e um tumor maligno nos ossos).

Pedro Passos Coelho foi um dos seus grandes apoios, mesmo enquanto desempenhava as funções de primeiro-ministro, esteve sempre ao lado de Laura e ajudá-la no combate à doença.

Com o agravar da doença o estado de saúde da antiga fisioterapeuta foi ficando cada vez mais débil.

O ex Primeiro Ministro refugiou-se cada vez mais em casa, ao lado da mulher, e só saía mesmo para cumprir com algumas das obrigações profissionais.

Era ele que tratava das compras e dos afazeres domésticos, como cuidar da filha mais nova do casal, Júlia.

Quando se agravou e a obrigou a um internamento no IPO de Lisboa, Pedro Passos Coelho esteve em quase permanência junto de Laura.

No decorrer deste período dramático da doença, Passos Coelho afastou-se ao máximo da vida público.