Ninguém é de ferro e sempre precisará de um colo de vez em quando. Não importante o quão grande és, sempre precisarás de colo de vez em quando.

A maioria de nós quer ser forte o tempo todo, independentes, cheios de orgulho e amor-próprio.

Com isso nós nos esquecemos de que somos feitos de carne e osso, e se até ouro e prata precisam de manutenção e grandes cuidados, imagine nós, meros mortais, repletos de emoções e pequenas carências naturais?

O carinho, o colo e o consolo são muito importantes para a felicidade e para o desenvolvimento do cérebro, não importa a tua idade, o teu tamanho ou o quanto tens de testosterona. Todos nós precisamos de um colinho de vez em quando.

“Se queres viver uma vida feliz, amarra-te a uma meta, não às pessoas nem às coisas…”

Até o coração mais forte cansa de ser maltratado!

Deus está contigo, está em tudo que tu tocas e colocas amor. Não odeies, não te vingues, não revides.

O colo e o carinho são remédios naturais para curar o cansaço da alma. Não sejas tão retraído, permite-te receber carinho e colo de pessoas que te amam, de uma avó, um avô, da mãe, do pai, de um amigo ou amiga, primos, irmãos e amores.

Não tenhas medo ou vergonha se te acharem carente, no fundo todos nós somos carentes.

Não tenhas receio de expor os teus sentimentos para pessoas que confias. Aceita os mimos dos teus amigos, e não te esqueças de retribuir, principalmente aos nossos avós, que estão mais vulneráveis e adoram uma meiguice.

Existem muitas formas de carinho, e carinho não significa somente cafuné na cabeça. Cada um dá colo do jeito que pode.

Preenche-te de ternura, de vez em quando, e não te enganes: aquele que aparenta ser auto-suficiente e faz o tipo “forte o tempo todo”, na verdade, é o mais carente.

Tu não és de ferro. Até o próprio ferro precisa de uma mãozinha para não enferrujar e se deteriorar.

Permite-te um cafuné, uma massagem nos pés e um abraço com mais de 30 segundos.

Sê forte confiante, equilibrado, luta e trabalhe como um touro, mas não te esqueças de que mereces colo. A falta de carinho oxida o corpo e enruga o rosto.

Créditos: Ádyla Maciel