A mulher de Passos Coelho já recebe pensão de invalidez. Laura Figueiredo encontra-se de momento impossibilita de se movimentar sem ajuda.

Atualmente com 54 anos, a mulher do ex Primeiro Ministro está a receber uma pensão de invalidez tendo em consideração o seu estado de saúde que não lhe permite sequer sair de casa

Diagnosticada, em 2014, com um tumor ósseo maligno agressivo num joelho, após sentir fortes dores no verão desse ano, Laura não tem tido paz desde essa ano.

Em 2015, Laura foi submetida a uma operação tendo-lhe sido colocada uma prótese e em 2017 depois de realizar exames de rotina, forma-lhe descobertas células malignas no pulmão.

Laura Figueiredo tem lutado contra a doença há cinco anos o que a impossibilitou de ter um dia a dia normal, tendo em consideração a dificuldade em mobilizar-se. Depois da colocação da prótese e de se submeter a sessões de quimioterapia, recuperou a capacidade de se movimentar, mas por pouco tempo.

Ela e Passos Coelho estiveram juntos em diversos eventos mesmo deslocando-se com o apoio de uma muleta.

A última vez que foi vista em público foi em Dezembro de 2018, quando já se deslocava com o apoio de cadeira de rodas, deixando antever uma maior dificuldade no que diz respeito à sua mobilidade.

Depois de ter descoberto em 2014 que tinha um cancro nos ossos, numa altura em que Passos Coelho era primeiro-ministro, a doença nunca mais a largou. O facto de enfrentar um tumor no pulmão, está a debilitá-la muito e isso é que a obriga a recorrer frequentemente ao uso da cadeira de rodas para se cansar menos.

“Ela, até há muito pouco tempo, estava muito em baixo porque o cancro voltou a aparecer no pulmão. Desta vez, os médicos optaram por não operar. Faz quimioterapia, faz injecções de ácido dicloroacético, creio que é de três em três semanas.

O tratamento é no IPO e também no Hospital de Santa Maria, por causa dos ossos. Faz fisioterapia mas ainda tem a mobilidade muito limitada”, disse uma fonte citada pela ‘Nova Gente’.

Ressalve-se que Laura Ferreira trabalhou, durante muitos anos, como fisioterapeuta e o seu último trabalho foi no Centro de Medicina e de Reabilitação em Mira Sintra.