Mães perfeitas não existem, o que existe são mães que dão tudo de si pelos seus filhos! Passamos tempo demais comparando de nós mesmas ideais de mães que são inatingíveis, procurando ser mais sólidas que uma rocha, mas nos esquecendo de que somos feitas de carne e osso.

Que mãe nunca abriu as páginas das redes sociais de mães, conhecidas ou famosas, e deu aquela analisada? Peles perfeitas, crianças majestosamente sorridentes no pequeno almoço, enquanto comem uma variedade gigantesca de frutas e exibem os seus penteados alinhados, enquanto nós, meras mortais, por vezes, nem trocamos de roupa até o meio-dia.

Essa comparação pode ser prejudicial, aumentando ainda mais o peso das coisas que carregas, como se já não fosse pouco.

O maior risco que temos de nos comparar com as outras mães é que nunca vamos saber se as nossas realidades podem ser compatíveis.  Como podemos querer ser iguais às mães que têm empregada 24 horas e babá a tiracolo, sem contar o personal trainer e o nutricionista?

A ideia aqui não é demonizar as mães que têm dinheiro e/ou uma rede de apoio grande, seja ela paga ou não, mas apenas enfatizar que és uma mãe possível.

És a melhor mãe que o teu filho poderia ter. Podes confiar nisso e apostar as tuas fichas em si mesma, porque, sem sombra de dúvidas, estás a fazer o teu melhor. Não percas tempo endeusando maternidades inatingíveis, pensa em ti mesma e no quão real és tu.

Admira as tuas fraquezas e seus momentos de nervosismo, porque são eles que tornam verdadeira, humana e vulnerável. Não percas tempo a tentar ser forte como uma pedra, as pedras não têm sentimentos, não riem, não choram e, principalmente, não conseguem ver o filho crescer.

Sê honesta com os teus filhos, abre o teu coração, fala dos teus sonhos, dos teus medos e fica sempre disposta a ouvi-los. Eles precisam de uma mãe real, uma mulher necessária e essencial com todos os teus defeitos.

Prepara-te para educar os teus filhos e deixá-los que mudem a tua opinião, fica aberta a descobertas, sempre despida de preconceitos.

Não percas tempo a tentar ser algo que não és, esse tipo de expectativas pode prejudicar o relacionamento que tem com as pessoas à tua volta. Esse tipo de “perfeição” não existe, e se existisse seria extremamente chato e morno. Se fôssemos todos iguais, como saberíamos das nossas diferenças? Como seríamos únicos?

Prefere sempre a honestidade e a gentileza, qualidades capazes de fazer com que seus filhos se tornem bons indivíduos.

Eles vão aprender só de olhar-te, e quando virem os teus limites e as tuas ações, vão perceber que precisam respeitar os próprios limites, que precisam ser honestos e verdadeiros. Quem não tem o sonho de criar filhos cheios de qualidades?

Tudo o que fazes é exatamente o que teu filho precisa. És a mãe possível e já sacrificou coisas demais para chegar aqui, por isso respeita o seu tempo e mostra aos teus filhos o poder da calma. Nada de mau é capaz de brotar da sinceridade, do amor e da espera.

A perfeição é encarada como um sistema de troca e incentivo, mas deveria ser encorajada a se somar à pluralidade do indivíduo. Cada um é perfeito à sua maneira e se esforça para ser cada vez melhor.

Tem confiança em ti mesma, ouve a tua intuição e fica a saber exatamente o que eles precisam!