Uma mãe deixou a bebé de 6 meses com a avó para tirar férias no Dubai: “Como poderia bronzear-me com ela?”. Tudo aconteceu na Grã-Bretanha”, mas ela não se importa com os julgamentos e explica que os filhos já compreendem esse o seu lado.

Nas redes sociais, ela mostrou um pouco da sua rotina de viagem no país árabe, onde acabou por ser pedida em casamento por Giovanni. A viagem romântica e a novidade animaram todos os familiares, mas alguns internautas fizeram questão de descobrir com quem as crianças tinham ficado, e assim que perceberam que a avó e a irmã mais velha tomaram conta das três, incluindo Blue Gianna, de apenas 6 meses, eles se apressaram em comentar nas publicações suas insatisfações.

Em entrevista ao The Sun, Carla explicou que viajar sem os filhos acabou por revelar-se um grande negócio para a família inteira, e que as pessoas não precisavam ficar irritadas com a situação, já que a filha não tinha ficado desamparada. “Eu sempre saio de férias sem os meus filhos. Tenho o meu tempo e depois temos as nossas férias em família”, disse a mãe.

De acordo com ela, fazer pausas em casal ajuda na manutenção do relacionamento e os filhos mais velhos já estão acostumados com suas viagens a trabalho. “Estar no Dubai era um trabalho, eu tinha que postar coisas todos os dias, e isso é uma grande responsabilidade. Claro que senti muita falta de Blue, mas não me arrependo de ter ido. Não pensei em levá-la porque não é prático, como eu poderia me bronzear com Blue gritando?”.

Na opinião de Carla, as críticas precisam ser direcionadas aos pais que levam os filhos aos resorts exóticos, já que acabam sem tempo algum para descansar. “Não podes pode aproveitar o teu tempo, as crianças estão a gritar porque estão com queimaduras de sol ou insolação”, disse a mãe, que completou que as crianças não deveriam ser levadas para locais muito quentes.

Carla já tem fama, inclusive ganhou o título de “mulher mais odiada da Grã-Bretanha”, porque disse ao tabloide The Sun que chegou a fingir ter depressão para conseguir uma cirurgia plástica de graça no nariz pelo sistema público de saúde do país. Posteriormente ela alegou que as informações tinham sido distorcidas pela media e que ela se sentia sim depressiva por não ter o rosto que desejava.