São aos milhares os fieis na estrada a caminho de Fátima para as celebrações do 13 de maio. Cerca de uma centena de fiéis partiu da cidade do Alentejo. São cerca de 200 quilómetros e vários dias a caminhar.

. “A minha primeira vez em peregrinação foi por uma promessa à Nossa Senhora; todos os anos tem sido a força da fé que me leva até lá”, afirma a peregrina há 20 anos Manuela Barreto.

Os grupos têm vindo a aumentar anualmente: “As pessoas, cada vez mais, têm motivação para pôr o pé no chão e para se encontrarem com elas próprias, e se calhar é por aí que tentam vir de qualquer forma”, diz Bernardino Melgão, diácono do grupo da Arquidiocese de Évora.

Para os peregrinos os grupos estão a aumentar pela à união que faz a realização destes sonhos. A fé é o incentivo que os leva a chegar ao destino final, no dia 11 de maio, sábado, e a atravessarem todas as dificuldades que encontram no caminho.

“A fé de mudança, de existir paz, verdade e justiça em tudo o que move a nossa vida, é isso que nos motiva”, diz Ana Melão que acompanha há vários anos os peregrinos que se deslocam do Algarve.

De vara na mão,os peregrinos percorrem os campos alentejanos, para uns pela primeira vez e para outros o momento pelo qual aguardam todos os anos.

“Preparei-me para a caminhada mas tenho já muitas dores nas ancas e nos pés”, diz a peregrina Maria José Azevedo que faz a caminhada pela primeira vez. Cumpre promessa pelo filho.

“A fé cativa-nos. Esperamos que a Nossa Senhora de Fátima nos ajude a chegar ao Santuário, a 11 de maio, nas melhores condições”, disse ela.

Os peregrinos percorrem cerca de 30 quilómetros por dia, efetuando paragens em várias localidades para pernoitarem.

A GNR tem a decorrer a Operação Peregrinação Segura 2019, aconselhando os peregrinos a andar em fila indiana e andar sempre com colete refletor.

A Associação Portuguesa de Podologia vai ajudar os peregrinos com 50 podologistas voluntários, em vários locais: Águeda (hoje), Coimbra (amanhã), Pombal (9 e 10) e Fátima (11 e 12).Encontrou um erro? Sugira uma correção para este artigo.

Créditos: Correio da Manhã

Partilha