“A minha filha de 16 anos faleceu de Covid-19. A vida perde o sentido”, disse uma mãe desolada após o falecimento da filha.

Julie, de 16 anos, teve um quadro fulminante de coronavírus e para a mãe Sabine: “É um choque perder um filho, a vida perde o sentido, mas temos a obrigação de continuar”.

Manon, irmã da vítima disse que “Ninguém é invencível perante esse vírus mutante”.

Julie passou por dois exames que negavam que ela tivesse o coronavírus e apenas na terceira vez a Covid-19 foi confirmada.

Ela não tinha outras patologias conhecidas, segundo a família, e é a primeira menor a morrer na França desde o início da pandemia.

Quando a mãe e a irmã da menor chegaram ao hospital parisiense, já era tarde demais. Julie tinha morrido. “Foi violento. Tivemos tempo de vê-la, mas depois tudo aconteceu muito rápido. Por causa das circunstâncias da epidemia, o protocolo para o enterro é muito rigoroso. Sei que é complicado, mas um pouco mais de humanidade é necessário”, afirmou Sabine, muito abalada com a perda da filha.