Está a ser experimentada uma pastilha elástica que pode ajudar a travar a pandemia. A mesma possui uma proteína que possibilita a retenção de partículas do vírus.

O objetivo é evitar o contágio quando os infetados estão a tossir, respirar ou a falar, apontam os investigadores da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos da América. 

O uso da pastilha elástica aumentaria seria ainda mais benéfico para países em que as vacinas existem em menor número.