Foi detido chinês suspeito de lavar milhões de euros. O homem residia em Lisboa e recorria a lavagem de dinheiro enviando mais de dois milhões de euros para a China sem passar pelo Fisco.

O homem terá obtido o dinheiro em negócios de comércio e restauração e está indiciado por crimes de falsificação ou contrafação de documentos, pelo que foi detido pela PJ.

Num comunicado publicado pela PJ esta informa que encontrou “vários passaportes falsos”, vários deles com “a fotografia do detido”, além de mais de 400 mil euros “dissimulados e acondicionados em diferentes partes da casa”.

“Parte da documentação apreendida” e os nomes que constam em três dos passaportes falsos “foram utilizados, no decurso de 2019, para a constituição de diversas sociedades e abertura de várias contas bancárias”, refere o comunicado.

“Por existirem suspeitas quanto à origem dos fundos, mormente de que estivessem relacionados com manobras de branqueamento, foi decretada a suspensão das respetivas operações bancárias naquelas contas”, conclui a polícia.