Dá apenas ouvidos a quem te ama. Outras opiniões, se não fundamentadas no amor, podem representar perigo. Há gente que passa a vida a dar palpite na vida dos outros. Fá-lo porque não é capaz de viver bem a sua própria vida. É especialista em receitas mágicas de felicidade, de realização, mas quando precisa fazer a receita dar certo na sua própria história, fracassa.

Tem gente que gosta de fazer a vida alheia a pauta principal dos seus assuntos. Tem solução para todos os problemas da humanidade, menos para os seus. Dá conselhos, propõe soluções, articula, multiplica, subtrai, faz de tudo para que o outro faça o que ele quer.

Dá só ouvidos a quem te ama, repito. Cuidado com as acusações de quem não te conhece. Não coloques a tua atenção em frases que te acusam injustamente. Há muitos que vão feridos pela vida porque não souberam esquecer os insultos maldosos. Prenderam a atenção nas palavras agressivas e acreditaram no conteúdo mentiroso delas.

Há muitos que carregam o fardo permanente da irrealização porque não se tornaram capazes de esquecer a palavra maldita, o insulto agressor. Por isso repito: dá só ouvidos a quem te ama. Não te ocupes demais com as opiniões de pessoas estranhas. Só a cumplicidade e conhecimento mútuo pode autorizar alguém a dizer alguma coisa a respeito do outro.

Penso no poder das palavras. Há palavras que bendizem, outras que maldizem. Quero viver para fazer esquecer… Queiras também. Nem sempre eu consigo, mas eu não desisto. Não desistas também. Há mais beleza em construir que destruir.

Repito: dá só ouvidos a quem te ama. Tudo mais é palavra perdida, sem alvo e sem motivo santo.

Só mais uma coisa. Não te preocupes tanto com o que acham de ti. Quem geralmente acha não achou nem sabe ver a beleza dos avessos que nem sempre tu revelas.

O que te salva não é o que os outros andam a achar, mas o que Deus sabe a teu respeito.

Créditos: Padre Fábio de Melo