Crianças de 10 anos jogam futebol com condições climatéricas severas. A Associação de Futebol do Porto deu conta que foram realizados 270 dos 312 jogos dos escalões de sub-7 aos sub-13.

Apesar dos alertas da Proteção Civil e dos campos sem quaisquer condições, os jogos aconteceram.

A AF Porto, publicou um vídeo onde se vê isso mesmo, ou seja, um jogo de sub-11 a acontecer debaixo de um enorme temporal “Um de centenas de exemplos de pais que por todo o distrito ultrapassam tudo para ver os mais pequenos a fazer o que mais gostam! Imagens notáveis do poder do jogo”, lê-se na publicação.

Os muitos comentários foram de indignação devido às condições climatéricas severas que se faziam sentir: “Com o devido respeito, mas até que ponto não se deveria evitar estes cenários mais extremos? Trata-se de cumprir calendário apenas. Os miúdos não tem condições para jogar com este tempo e sofrem muito com a chuva e frio. Principalmente quando se chega a ter jogos tão cedo!. E a nível de riscos para a saúde será que não será demasiado?”; “Isto não é esforço, isto é doença e é um grande desrespeito pelas crianças que são obrigadas a jogar debaixo destas condições. As crianças gostarem de jogar é uma coisa, isto devia ser crime e as federações e árbitros deviam ser no penalizados por obrigarem as crianças a jogar em situações extremas, com tantos alertas emitidos pelas autoridades. Se tivessem de esperar à porta de uma escola ou de centro de saúde, debaixo de chuva, era o Deus me livre! Mas em campo… nem vale a pena comentar mais nada.”; “Isto é inadmissível, nesse campo a beira mar e com esse tempo os miúdos amanhã estão todos doentes. Desculpem, mas Deveria ser proibido”, são alguns dos comentários.