Asfixia manual e abanão foram as causas da morte de Valentina. A autópsia não confirma suspeita de abusos sexuais à criança, assassinada pelo pai e pela madrasta, em maio.

A investigação da morte da pequena Valentina, a menina de 9 anos assassinada em maio, em Atouguia da Baleia, Peniche, está terminada.

Ambos vão responder por homicídio qualificado e profanação de cadáver.

A agressão do pai foi violenta, quando a abanou repetidamente a filha, alegadamente para que a menina contasse com quem trocaria bilhetes de caráter sexual com outras crianças e confessasse contactos sexuais com um homem a quem chamava de padrinho, uma versão que suscita muitas dúvidas aos investigadores.

A investigação apurou que o progenitor também usou água quente para assustar a menor, havendo ainda marcas de outras agressões e de asfixia.