O cão de Fátima Lopes foi adoptado após ser abandonado numa estação de serviço. Brownie tem, atualmente, seis anos e meio e na altura foi “deixado numa estação de serviço, preso com uma corda curta a um poste”, disse Fátima Lopes à PiT.

“Ele vinha com as suas marcas. Era uma cão que a minha filha sinalizou e que estava à espera de ser adotado numa associação depois de ter sido abandonado. (…) Quando veio para a nossa casa adaptou-se logo. A primeira noite foi um bocadinho mais complicada, porque tudo era novo para ele, mas depois correu tudo lindamente. É um cão de uma doçura difícil de descrever. A doçura que ele tem no olhar é a que tem na personalidade (…) não dá para descrever o que é integrar numa família um animal, principalmente vindo de um abrigo”: “Eles só quererem dar amor e receber amor. Nada do resto lhes interessa”, relembrou à PiT a comunicadora de 53 anos.

E continua “Eu só tive este cão quando a minha filha já tinha 17 anos. Sempre lhe disse antes que não conseguia assegurar os passeios e os cuidados que achava que ele merecia. Até brincava com a minha filha e dizia: ‘Se eu não tenho tempo para me passear a mim…’”, refere.

Actualmente, as tarefas com o animal são divididas entre todos: “Não havia necessidade de a sobrecarregar quando, na verdade, ele é um elemento da família. Até amigas da minha filha o vão buscar para o levar a correr. E ele adora (…) De manhã, eu posso andar pela casa o tempo que eu quiser, que o Brownie não anda atrás de mim. Quando chega o momento de eu ir acordar o meu filho para ele ir para a escola, o Brownie sabe e segue-me logo. Eu dou dois beijinhos ao Filipe e ele acorda a seguir com as lambidelas do Brownie. Portanto, já faz parte do acordar do Filipe receber este amor. e o Brownie só pára quando o Filipe lhe dá uma festa”, frisou.