Uma bombeira não resistiu e faleciu aos 37 anos após ter sido mãe. Rosa Guerreiro pertencia à corporação de Vila Nova de Milfontes, e faleceu devido a um AVC hemorrágico.

20 dias depois de ser mãe, lamentou nas redes sociais um seu antigo comandante. A morte prematura da jovem levou a mensagens de pesar de corporações de todo o País.

Rosa Guerreiro era casada também com um bombeiro e fez parte da formação em Aljustrel e foi bombeira em Odemira, onde é recordada como “alegre, divertida e de sorriso fácil”.