António Costa disse que André Ventura não tem credibilidade referindo que “não é propriamente um produto autêntico da extrema-direita europeia com fortes raízes”.

Numa entrevista ao jornal Público, o chefe de Governo reagiu ao “fenómeno do Chega” e afirmou que deve se “evitar o erro de querer bipolarizar a vida política nacional” entre o líder do partido e os restantes.

“Isso só tem um efeito: valorizar o André Ventura e dar-lhe uma credibilidade que ele não tem”, disse Costa, preocupado com a fratura perigosa do debate sobre memória e racismo.