Os colegas de trabalho de Magalie Wacquant ofereceram 50 dias de folga para mãe acompanhar filha doente. Quando ela soube que a filha adolescente tinha cancro ficou desorientada para conciliar o trabalho com as visitas regulares ao hospital.

Como forma de a ajudar os seus colegas ofereceram-lhe 50 dias de folga.

Foi no dia 17 de maio deste ano, que a família de Magalie Wacquant soube da triste noticia. O pescoço da sua filha Clothilde ficou inchado. Era um linfoma de Hodgkin, um cancro do sistema imunológico pouco frequente.

Desde 11 de junho, a jovem adolescente iniciou um tratamento que passa por sessões de quimioterapia de terça a sábado no Hospital Hautepierre, em Estrasburgo.

Magalie, secretária comercial da empresa Scapalsace, uma central de compras dos supermercados Leclerc, em Colmar, França ficou muito transtornada com a noticia.

Quando souberam do sucedido, as suas colegas Laetitia, Yannick e Gwenaelle, que partilham o escritório de Magalie, decidiram tomar uma atitude: “Eu imediatamente quis dar dias e pensámos que outros funcionários também o fariam”, afirmou Laetitia Nemeth, ao site DNA.

Elas passaram cerca de três horas na empresa a pedir ajuda para Magalie: “Alguns estavam cientes, para outros, foi um choque. Nesta situação, muitas vezes, não sabemos o que fazer. As pessoas ficaram felizes por ter a oportunidade de ajudar”, disse Laetitia.

“Recebi um email da área de Recursos Humanos a dizer que me ofereceram 50 dias! Agradeço aos meus colegas pela generosidade”, afirmou Magalie.

Agora, quando a filha tem uma consulta no hospital, Magalie usa os dias que recebeu dos colegas, o que lhe permite continuar a ser paga ainda que não se apresente ao trabalho.